Monday, January 31, 2005

Amar os inimigos

Como se pode amar a quem nos quer mal? Mesmo se já tenhamos ultrapassado muitas barreiras, e já estejamos em codições de não odiar a alguém gratuitamente, ainda assim nos sentimos com dificuldade em lidar com o ódio que nos é dirigido. Podemos dizer que é um direito nosso, ou que se trata apenas de defesa. Mas é forçoso reconhecer que o coração se rebela, e que o sentimento de vingança muitas vezes espera apenas pela hora mais oportuna. Se não tomamos em armas contra nossos inimigos, torcemos pelo seu insucesso. Rimos de seus fracassos, e ficamos frustrados com suas vitórias.

Não é esse o espírito do mandamento. Mas, se sabemos repeti-lo -- "amai os vossos inimigos" -- como fazer para colocá-lo em prática? Este é o desafio. A vigilância é necessária, mas é preciso ir mais adiante, desenvolvendo uma postura mental adequada.

Há pessoas que dedicam sua vida à obtenção de uma total paz de espírito, caracterizada pelo esvaziamento completo da mente. Se não implica amor, pelo menos o esvaziamento já permite a neutralização do ódio. Na impossibilidade que me encontro de atingir este estado, o que fazer? Render-me aos pensamentos normais leva, com certeza, ao ódio incubado, um sentimento perigoso de se guardar, que envenena a alma e apenas espera pela oportunidade para se manifestar.

A vigilância ativa sugere outras formas de agir. Lembro-me de uma conversa, onde me foi dito que o Divaldo Pereira Franco conversava com um companheiro espiritual seu; ora para dedicar uma ação de caridade, ora para evocar a beleza de uma planta, ou de um dia ensolarado. Esta atitude de convite ao amor transformou o seu obsessor em um companheiro, um amigo que passou a acompanhá-lo no seu trabalho.

Assim, minha sugestão é: na impossibilidade de ignorar, vamos fortalecer a mente nos pensamentos positivos. Vamos amar sem afetação; vamos conviver bem, convidando ao amor. Essa parece ser uma forma justa de obter uma reforma íntima, em benefício não somente nosso, mas de todos os nossos 'inimigos'.

7 Comments:

Blogger MiLTòiN said...

eu não li. encontrei por acaso esse link, mas me interessou. queria fazer um salve a literatura de morte. é para essa que nos devemos voltar. parabéns por ajudar a manter as pessoas em condições de existência medíocre ("ah, mas e as outras vidas"), alienada, conformista, IDEALISTA. Um salve a todos vocês, adoradores da morte em todos os sentidos (inclusive os incompreensíveis a vocês)

12:19 PM  
Blogger clea said...

Temos que ser condescendentes com todos, apesar de não sermos inimigos! Mas...Adoradores da morte!!!!!Esta é nova!!!! Adoramos sim, a um Deus Justo e Perfeito que nos mostra uma Doutrina de Amor e Paz!!!!!

6:14 PM  
Blogger Maria said...

Carlos, muito obrigada pelo teu texto. Acho-o muito interessante. Peço-te que me expliques o que entendes por «amar sem afectação»

Muito obrigada, Maria

9:20 AM  
Blogger Carlos Ribeiro said...

"Amar sem afetação"... quer dizer, amar "sem frescura". Amar com um sentimento real no coração, sem necessariamente ter que se desmanchar em demonstrações exteriores. Amar de forma discreta, mas nem por isso menos calorosa. É o oposto daquele amor "espalhafatoso", e muitas vezes transborda para o possessivo, e até mesmo desequilibrado...

11:46 PM  
Blogger Joao Motta said...

OLA
UTILIZEI SEU TEXTO PARA ELABORAR MINHA PALESTRA SOBRE AMAR O INIMIGO
VOU CITAR A FONTE
UM ABRAÇO
FELIZ ANO NOVO
MOTTA
JSMOTTA@IBEST.COM.BR

11:42 AM  
Anonymous Anonymous said...

Carlos, foi muito bom abrir este site e encontrar informações tão preciosas sobre esse tema: Amar os Inimigos. Seu texto é muito claro e nos fornece orientações para iniciarmos o exercício evangélico recomendado por Jesus.

Hoje irei citar este lindo texto em minha exposição doutrinária.
(Citarei a Fonte)

Obrigada!

Continue escrevendo espalhando sementes de luz.

Saúde e paz.

Esther

8:15 AM  
Anonymous Evaristo said...

Carlos, este artigo sobre a inimizade coloca o tema de forma clara, ao mesmo tempo em que dá margem a várias reflexões e aplicações. Continue, as pessoas que tornam o mundo um lugar menos penoso para se viver são aquelas que sustentam a postura valorizada neste texto. Que Deus o abençoe!

11:19 AM  

Post a Comment

<< Home